domingo, 5 de dezembro de 2010

O QUE É IRIDOLOGIA




Iridologia é uma ciência que permite, graças à observação da íris, detectar perturbações orgânicas, metabólicas, nutricionais, nervosas, hormonais e certas patologias. Isto é possível estudando os numerosos sinais que devemos decodificar e interpretar segundo uma técnica rigorosa.
A iridologia é simples, econômica e não agressiva, contrariamente aos testes de laboratório que são caros, demorados e pôr vezes agressivos.
A íris é a parte corada do olho, muito rica em filamentos nervosos, fabricada com os mesmos tecidos que o cérebro e formada nos primeiros dias de vida do embrião.
Certamente pôr causa da sua complexidade em telecomunicação nervosa e ter uma relação genética, nós ainda não descobrimos tudo nem explicamos tudo sobre o assunto das telecomunicações celulares, mas já sabemos que as células comunicam-se umas com as outras.
O cérebro é um verdadeiro computador composto de 10 bilhões de neurônios, cada um com mais de 25.000 possibilidades de comunicar com as células vizinhas. Cada neurônio é um verdadeiro laboratório químico. O olho é um anexo, uma extensão deste verdadeiro laboratório que envia para esta parte corada do olho milhões de informações, algumas das quais são visíveis. De fato, como um espelho no qual se inscrevem mensagens, cada célula do estroma da íris contém 25.000 de fibras nervosas que estão ligadas ao cérebro. O nervo óptico mais de 10.000 ramificações nervosas. Sob o estroma da íris, dois grupos de músculos aparecem, um para dilatar a pupila e outro para a contrair.
A palavra “íris” deriva da comparação entre as suas cores e nuances com as da “écharpe” da Deusa Grega Íris, ou seja, o “arco-íris”. Estas cores podem ser normais ou assinalar intoxicações, anomalias genéticas e perturbações.
A pigmentação da íris e a cor dos olhos parecem ter uma relação com o índice de uma pré – disposição para certas doenças, de preferência em relação a outras. Porque com efeitos, pode-se definir um estudo completo da morfologia da face e cor dos olhos que dão então os tipos constitucionais.




A íris está intimamente ligada ao organismo pelos seguintes intermediários:

• sistema nervoso
• sistema linfático
• sistema orgânico e protéico

As perturbações do sistema nervoso provocado pelo stress permanente, hoje mais conhecido pelo nome de stress oxidativo, são susceptíveis de modificar a estrutura da íris. Os estados de alcalinidade ou de acidez são fatores que alteram o sistema nervoso que então retransmite mensagens anormais através do sistema simpático para o cérebro que pôr sua vez os retransmite a íris.
O sistema nervoso e linfático altera de numerosas maneiras a estrutura da íris. Tornam-se ensombradas pela quantidade de toxinas transportadas. Modifica a cor inicial com as sobrecargas de colesterol, lipídeos, peróxido e hidrogênio, cristais de ácido, metais pesados, medicamentos, etc.
Na íris está registrada toda a constituição orgânica de uma pessoa, e como esta vem se apresentando, características e comportamentos.
A iridologia não tem como objetivo dar nome às doenças a partir do irisdiagnose, elabora-se um programa de desintoxicação e reconstrução do organismo que é à base do tratamento e que tem a finalidade de conscientizar e melhora as carências nutricionais do paciente, melhorando assim, sua qualidade de vida. Este tratamento visa suprir as necessidades como também as tendências orgânicas que poderão se desenvolver ao longo da vida.




Iridologiqa no Brasil

No Brasil os primeiros trabalhos ou algumas apostilas sobre Iridologia surgiram na Associação Macrobiótica de São Paulo (Bela Cintra, 1979), onde apareceu um caderno simples intitulado NOSSOS OLHOS SÃO O ESPELHO DO QUE COMEMOS (1980), publicado pelo macro J.R. Vasconcelos, foi a partir deste trabalho que tratava do ensinamento do Naturopata Dr. Manuel Lazaeta Acharan que dizia “a íris dos olhos do indivíduo enfermo revela dois aspectos: impurificação generalizada de todo o organismo, e localização do processo mórbido que se manifestam por irritação, inflamação, congestão ou destruição das fibras do tecido iridial na zona correspondente ao ponto afetado”, outro pioneiro foi o Prof. Wilson Voislav Todorovic. Nesta época com uma lupona e uma lanterninha já analisava os olhos de meus clientes e neste mesmo período tínha um grupo de estudos, também tive contato com o Iridologo Gurudev Singh Khalsa, um outro trabalho extremamente profundo foi publicado pelo Instituto do Princípio Único sobre iridologia com desenhos e algumas comparações. Bem depois veio o primeiro livro compilado de iridologia.





Analise de uma íris um complemento para a beleza interior:

Íris dos olhos examinada adequadamente por um bom entendedor é o Exame que nos dá, no mesmo tempo, o maior número de informações sobre o indivíduo. Assim, pode-se detectar na íris, desde a resistência genética do indivíduo ao grau de vitalidade do seu organismo, o grau de oxigenação e alimentação dos seus tecidos, o grau de acúmulo de toxinas e estagnações nos seus tecidos e órgãos. Afecções agudas, subagudas, crônicas e degenerativas. Comprometimento e integridade dos seus tecidos e órgãos, bom ou mau funcionamento dos sistemas (digestivo, absortivo, excretor, circulatório, glandular, etc.); grau de intoxicação ou acúmulo de toxinas no organismo bem como deficiência de nutrientes e ainda quais os tecidos, órgãos ou sistemas mais atingidos. O Exame da íris para o bom entendedor é o melhor Exame preventivo que existe, pois nos permite, ao mesmo tempo, avaliar a resistência genética daquele organismo contra as doenças, evidenciar as tendências genéticas que aquele organismo tem em desencadear certas doenças ao longo da vida, o grau de vitalidade dos tecidos (oxigenação, alimentação, eliminação), onde estão acumuladas as toxinas e quais os órgãos geneticamente mais fracos; pode ainda indicar as disfunções orgânicas ainda antes de ocorrer às lesões anatômicas, o que nos permite tomar medidas preventivas evitando que a doença se desencadeie, ou então, tomar medidas corretivas se já ocorreu à lesão. Há também aspectos mentais e comportamentais da personalidade revelados na íris como a melhor dieta alimentar, o melhor meio de aprendizado para a pessoa em questão, isto é, como o seu inconsciente capta melhor as informações, a profissão mais indicada, como se relaciona com os seus semelhante no convívio social, etc. Enfim, é um auto-conhecimento que será muito útil a qualquer pessoa. Devemos lembrar que a Iridologia não pretende identificar e denominar doenças, a técnica não pode dizer que uma pessoa está com pneumonia por pneumococo, ou com diabetes. Dará uma informação do estado toxêmico e circulatório geral sugerindo os órgãos mais afetados ou onde mais provavelmente se manifestará uma enfermidade. Informará também das melhorias, além de nos alertar das condições constitucionais daquele organismo, fornecendo informações importantíssimas sobre a psique. Com a avaliação precisa desses aspectos pode-se formular um programa pessoal específico com as modalidades terapêuticas necessárias, como dieta nutricional, indicação de fitoterápicos e minerais, terapia floral, trabalho corporal e qualquer outra orientação necessária. A Medicina Oficial não reconhece a Iridologia como científica. Claro os princípios são diferentes. A Alopatia é muito científica na supressão das doenças e sintomas, mas é ignorante na correção das causas das doenças. A Iridologia tem por princípio elucidar as causas das doenças.





Texto colaboração de: Marcio Corrêa (Sw Antar Aryo) - Naturopata, Iridologo e Bioterapeuta

2 comentários:

  1. Querida, que sublime postagem esta!
    Preciso de treinar o Sim!
    Um Beijo de Luz!
    Vou ler e reler!
    Show!

    ResponderExcluir

Contribua com seu comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...